segunda-feira, 30 de novembro de 2009

sound like what?!


"These Early recordings sound like Lauryn Hill collaborating with J Dilla", lê-se na Wax Poetics de OUT/NOV a propósito do disco Early de um tal Georgia Anne Muldrow.

Claro que depois de lêr esta descrição, fui ouvir avidamente o disco. A única coisa que posso dizer é que o Dilla deve estar a dar voltas no túmulo e a Lauryn Hill a fazer um one finger algures no mundo.

nota: Esta crítica nem se dirige sequer à artista em si, mas a quem faz uma comparação como a transcrita.

domingo, 22 de novembro de 2009

jazz 'n' bass? drum 'n' jazz?

Foi com os dinamarqueses Blood Sweat Drum 'n' Bass Big Band a partir a loiça toda - acompanhados pelo trompetista Dave Douglas - que o o Guimarães Jazz encerrou.
Com Dave Douglas a deambular por solos alucinantes, os Blood Sweat apresentaram um repertório surpreendentemente heterógeneo onde o jazz tradicional se recriou com estéticas electrónicas mais contemporâneas - casos do drum 'n' bass ou do techno mais minimalista. Para o encontro explosivo destas sonoridades, é de salientar o papel fundamental dos três homens da percussão, verdadeiramente imparáveis. Por sua vez, a guitarra eléctrica, seguida pelos teclados, proporcionou momentos de hard rock em que a cadeira era demasiado "confortável" para se estar...
De tudo, o que menos me entusiasmou foi mesmo a voz das senhoras que pontualmente surgiram ora como coro, ora individualmente. Um ponto negativo minúsculo em tão vasta qualidade!

Até para o ano!

Blood Sweat Drum´n´Bass Big Band at Roskilde Festival 07

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

directamente de Brooklyn para o dancefloor:

15 to 20, The Phenomenal Handclap Band

de um dos irmãos do Rei

(...) the sexiest prison break ever choreographed.
in Wax Poetics, nº 37, OCT/NOV 2009, Jon Kirby

Dynamite

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Amanhã

tem início o Guimarães Jazz, no Centro Cultural Vila Flor, estendendo-se até dia 21 deste mês. Se é a segunda vez que aqui falo deste evento, é porque deixou saudades!
A abertura cabe ao baterista Jimmy Cobb e ao conjunto formado por Wallace Roney, Javon Jackson, Vincent Herring, Larry Willis e Buster Williams e o concerto é nada mais nada menos que uma homenagem ao cinquentenário Kind of Blue de Miles Davis, a que fiz aqui uma breve referência há uns tempos.
2 good 2 be true!

Programa completo aqui.